O que você sonha é espiritual ou mental? Veja os 3 tipos de sonhos!

FERNANDO ROSSIT

O sonho é a realidade das atividades da alma, ou seja, uma lembrança do que a alma viveu durante o sono. Seja uma recordação da infância ou vidas passadas, muitas vezes associada à vida presente, com uma projeção do futuro, fruto de preocupações e desejos presentes ou passados, vivências espirituais de qualquer natureza e etc.

Afastada do corpo, a alma tira de tudo o que vê, de tudo o que percebe, e dos conselhos que lhe são dados, as ideias que lhe ocorrem depois, em forma de intuições.

Complicado, né? Sim, por isso, é muito difícil dar um significado preciso para os sonhos.

 

Quando estamos fora do corpo, por desdobramento, ficamos, via de regra, semiconscientes, sem noção exata do que ocorre ao nosso redor. Isso se dá por conta da falta de preparo ou nosso baixo desenvolvimento espiritual.

Existem profissionais que fazem análises dos sonhos, porém é de suma importância que se faça com seriedade e responsabilidade. Muitas vezes estas análises trazem importantes informações que auxiliam no aprimoramento e autoconhecimento da pessoa.

Envolvidos nos sentimentos e emoções, sugestionamo-nos às interpretações que julgamos serem as verdadeiras.

 

Mas é muito difícil a interpretação dos sonhos, porque, em desdobramento, não é nosso cérebro físico que registra as experiências fora do corpo. Como ele é constituído de matéria muito grosseira, no retorno da alma ao corpo, raramente, o cérebro vai guardar as recordações da alma (vivências fora do corpo) – e, se isso acontecer, poderá ser por associação fragmentária.

Por exemplo, se você tiver medo de cobra no estado de vigília (normalmente, acordado), numa experiência extracorporal que você passa medo (um pesadelo por conta de um filme que assistiu e etc.) e retorna ao corpo com aquele sentimento (medo), o cérebro físico poderá associá-lo à cobra. Depois de despertar, você poderá se “lembrar” que sonhou com cobras e outras situações assustadoras. Mas, na realidade, não foi nada disso que ocorreu.

Temos um caso semelhante desse relatado no Livro “Os Mensageiros”, de André Luiz, Capítulo 38.

Podemos considerar três tipos de sonhos:

(1) Sonhos comuns: repercussão de nossas disposições físicas (circulatórias, digestivas e etc.) ou psicológicas (sentimentais: medo, preocupações, anseios, desejos e etc.);

(2) Sonhos reflexivos: exteriorização de impressões e imagens arquivadas em nossa memória;

(3) Sonhos espirituais: atividade real e efetiva do espírito durante o desdobramento, propiciado pelo sono.

Exemplo de Sonhos Comuns (são os mais frequentes):

Quase sempre desencadeados por preocupações e desejos intensos. Se você vai ter uma entrevista de emprego ou uma prova na faculdade, em razão de sua preocupação, poderá sonhar boa parte da noite com isso, que, no fundo, do ponto de vista psicológico, estará demonstrando a sua insegurança.

Nesses casos, é pequeno o afastamento da sua alma do seu corpo, e envolto por aquelas cenas fluídicas criadas pela sua própria mente, julga estar vivendo algo real (indo mal na prova ou se complicando na entrevista).

 

Sonhos Espirituais: Encontros com encarnados e desencarnados.

Durante o sono o espírito se distancia do corpo físico, mas não fica inativo. Neste momento o encontro com entes queridos é possível, da mesma forma, com desafetos, de acordo com o pensamento que nos liga uns aos outros por vários motivos.

Nos sonhos espirituais, a alma, desprendida do corpo, exerce atividade real e efetiva no plano espiritual, facultando meios de se encontrar com parentes, amigos, instrutores espirituais, inimigos ou desafetos, desta e de outras vidas.

Quando dormimos, o nosso espírito parte em disparada, por atração automática, para os locais de nossa predileção.

• o viciado procurará os outros viciados;
• o religioso procurará um templo;
• a alma caridosa irá ao encontro do sofrimento para assistir os necessitados;
• o interessado em aprender e estudar procurará os cursos na espiritualidade.

É muito importante o nosso preparo antes de dormir, evitando programas de TV ou filmes de conteúdo negativo, por exemplo. A prece antes de dormir é um excelente recurso para que possamos ter bons sonhos, porque nos liga aos bons espíritos, garantindo-nos boas companhias espiritais.

Referências Bibliográficas:
(1) Estudando a Mediunidade – Martins Peralva
(2) O Livro dos Espíritos – Emancipação da Alma
(3) Os Mensageiros – André Luiz/Chico Xavier
(4) O Livro dos Médiuns – Allan Kardec
(5) Blog Espírita Chico Xavier

http://chicodeminasxavier.com.br/o-que-voce-sonha-e-espiritual-ou-mental-veja-os-3-tipos-de-sonhos/

Deixe uma resposta